Fluorose dentária – Dentes Manchados

Home / Notícias / Fluorose dentária – Dentes Manchados

O que é?

A Fluorose dentária se manifesta como manchas, geralmente esbranquiçadas nos dentes por excesso de flúor, geralmente de forma simétrica. Acomete algumas crianças de até 12 anos de idade em regiões onde a água é fluoretada ou possui nível de fluoreto natural maior que 4mg/L e em pessoas que trabalham na industria de flúor.

 

Fontes de flúor

Além de água fluoretada alguns alimentos podem causar fluorose, especialmente chá preto, algumas sopas e ensopados, café, uva-passa, alguns sucos, refrigerantes e cachorro-quente.

 

Fluoretação da água de abastecimento

Muitos cientistas e prêmios Nobéis tornaram-se contrários à fluoretação da água, pois acreditam ser o primeiro sinal de intoxicação por flúor em até 70% das crianças em algumas regiões do mundo.

A eficácia a fluoretação depende do nível de higiene oral da população, podendo chegar a 60 % onde as pessoas têm maus hábitos alimentares e de higiene, e a 5 % em algumas regiões europeias onde se tem cuidados adequados com a saúde oral.

O flúor dos cremes dentais mais o flúor dos alimentos pode reduzir em até 90% a incidência de cáries, porém, é aconselhável que crianças menores de 7 anos não usem cremes dentais fluoretados, ou baixíssima quantidade do tamanho de um grão de arroz.

O excesso de flúor poderá tóxico quando ingerido em grande quantidade de uma só vez ou crônica quando pequenas quantidades são ingeridas durante um longo período de tempo. Quando aguda pode causar desde um problema gastrointestinal até mesmo uma parada respiratória e consequentemente morte.

Em sua forma crônica a toxicidade pode afetar tecidos mineralizados (ossos e esmalte dental) causando também fluorose óssea.

1386038843l-300x211

 

Diagnóstico

A fluorose pode ser dividida em níveis segundo evolução da doença. Segundo o Índice Dean a fluorose dentária pode ser classificada em:

  1. Normal : A superfície do esmalte está lisa, lustrosa e, geralmente, de cor branca cremosa pálida.
  2. Questionável: O esmalte revela pequenas alterações de translucidez. Desde algumas partículas brancas até eventuais manchas brancas. Esta classificação é utilizada quando a estrutura do esmalte não pode ser considerada normal e ao mesmo tempo existem pequenas alterações questionando a presença da fluorose.
  3. Muito Leve: Pequenas manchas brancas e opacas espalhadas irregularmente no dente, envolvem não mais que 25% de sua superfície total. Frequentemente estão incluídos as manchas brancas de aproximadamente 1-2mm no vértice das pontas de cúspide dos pré-molares ou segundo molares
  4. Leve: Manchas brancas mais extensas, porém não ultrapassam 50% da superfície total do dente.
  5. Moderada: Manchas brancas em quase 100% da superfície dentária, o desgaste é observado junto à pequenas manchas acastanhadas.
  6. Severa: Toda superfície do esmalte comprometida por mancha, grande desgaste e manchas acastanhadas envolvem boa parte do elemento dental.

 

Seu uso entre 0,4 e 1,8 ppm é usado para evitar o desenvolvimento de cáries em países como Brasil, EUA, Inglaterra, Canadá, Austrália.

Mesmo não sendo capaz de interferir na formação de placa bacteriana e transformação do açúcar em ácidos, ele é capaz de controlar o processo de desmineralização e remineralização do esmalte dentário na forma de fluorapatita.

fluorosis

Tratamento

O tratamento varia de acordo com o dano causado pela fluorose, podem ser realizados tratamentos menos invasivos como micro-abrasão e clareamentos dentários, até mesmo restaurações, facetas e coroas de porcelana. Para cada caso existe uma indicação específica, consulte sempre um cirurgião dentista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *